Governo de SP

Releases

Releases

Representantes da Região Metropolitana assinam protocolo do programa “Cidades Sustentáveis”

Na manhã desta segunda-feira, 17, prefeitos da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP) tiveram a última reunião deste ano, que contou com a participação do futuro secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, e da coordenadora de Mobilização do Programa “Cidades Sustentáveis”, Zuleica Goulart.

Além dos convidados, também participaram da reunião o prefeito de Ribeirão Preto e presidente do Conselho da RMRP, Duarte Nogueira, o subsecretário de Assuntos Metropolitanos, Edmur Mesquita, o diretor de Emplasa, Luiz Pedretti, o Engº Carlos Eduardo Alencastre e prefeitos da região.

Durante o encontro, Duarte Nogueira aproveitou para apresentar um balanço das atividades que a RMRP fez nestes dois anos, desde sua criação, além de definir os temas que irão compor as pautas das reuniões do próximo ano.

Além de Marco Vinholi, Duarte Nogueira também convidou o futuro secretário da Casa Civil do Estado de São Paulo, o atual ministro Gilberto Kassab, que não pode estar presente. “É importante que eles conheçam as demandas das cidades que compõem a RMRP, já que são as duas secretarias mais ligadas a essas demandas”, disse o presidente do Conselho.

“Nós temos hoje 218 municípios integrados às Regiões Metropolitanas, incluindo também as Aglomerações, o que significa que um terço dos municípios do Estado está integrado nessas unidades regionais. O papel de vocês é muito importante para que possamos pensar no futuro dessa região a médio e longo prazo, e a definição das prioridades dos municípios”, afirmou Edmur Mesquita.

Durante a reunião, foi assinado um protocolo de intenções sobre o Programa “Cidades Sustentáveis”, apresentado aos participantes por Zuleica Goulart. “São inúmeros benefícios que trazemos totalmente gratuitos, não só o apoio de especialistas, mas também ajudando no planejamento das cidades para tentar facilitar o trabalho das prefeituras, além de uma aproximação maior com a sociedade civil”, explicou.

“Essa região tem uma importância muito grande para o Estado de São Paulo. A única Região Metropolitana fora da macrometrópole que serve de exemplo para outras regiões do Estado. Acompanhei a luta que foi para se tornar uma Região Metropolitana e, muitas vezes, é isso mesmo, superar barreiras”, esclareceu Marco Vinholi.

A próxima reunião da RMRP ficou marcada para o dia 18 de fevereiro de 2019, às 9h, na AEAARP, localizada na Rua João Penteado, nº 2237.

 

E-mail: imprensa.sdm@sdmetropolitano.sp.gov.br

Facebook: www.facebook.com/SSDMetropolitano

Twitter: @SAMetropolitano

Instagram: SAMetropolitano

Site: www.assuntosmetropolitanos.sp.gov.br

18/12/2018 Leia na íntegra esta matéria: (Representantes da Região Metropolitana assinam protocolo do programa “Cidades Sustentáveis”)

PDUI-RMSP: Concluído!

Comitê Executivo e Comissão Técnica validam o PDUI-RMSP, que será encaminhado à deliberação do Conselho de Desenvolvimento da RMSP no início de 2019

São Paulo, 14 de dezembro de 2018

O Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana de São Paulo (PDUI-RMSP) está concluído e validado. Em reunião conjunta realizada no último dia 04/12, o Comitê Executivo e a Comissão Técnica do Plano aprovaram a minuta de projeto de lei, que deverá ser encaminhada à deliberação do Conselho de Desenvolvimento da RMSP, no início de 2019.

O processo de elaboração do PDUI-RMSP foi coordenado, desde 2015, pela Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa), de modo participativo e articulado entre o Governo do Estado de São Paulo, representantes dos 39 municípios da RMSP e da sociedade civil organizada.

"A última etapa será a aprovação do documento pelo Conselho de Desenvolvimento da RMSP, que o encaminhará ao Governo do Estado de São Paulo", informa o diretor-presidente da Emplasa, Marcelo Martins de Oliveira. Caberá ao Executivo estadual a iniciativa de enviar a minuta do PL para à apreciação da Assembleia Legislativa, o que deverá ocorrer no início de 2019.

"Os PDUIs são um marco na retomada do planejamento metropolitano e inauguram nova forma de planejar, com decisões compartilhadas entre Estado, municípios e sociedade civil organizada, configurando, portanto, a consecução, na prática, da almejada governança metropolitana ou interfederativa", destaca Luiz José Pedretti, diretor de Planejamento e Novos Negócios da Emplasa.

A Emplasa, que é vinculada à Secretaria Estadual da Casa Civil, desenvolveu e deu apoio técnico por três anos às numerosas e complexas atividades exigidas no processo de construção do PDUI-RMSP, num esforço sem precedentes, que mobilizou, pela primeira vez, dezenas de instituições e órgãos públicos estaduais e municipais ─ com a participação expressiva da sociedade civil, que contribuiu com cerca de 1.200 propostas, incorporadas ao PDUI-RMSP.

O PDUI-RMSP

O PDUI é uma exigência do Estatuto da Metrópole, lei federal sancionada em 2015 para todas as regiões metropolitanas e aglomerações urbanas no Brasil, criadas ou que vierem a ser criadas. O PDUI-RMSP estabelece macrodiretrizes para a adoção pelos municípios de políticas públicas relacionadas às Funções Públicas de Interesse Comum (FPICs) nas áreas de: desenvolvimento socioeconômico e territorial; habitação e vulnerabilidade social; meio ambiente, saneamento e recursos hídricos; mobilidade, transporte e logística.

 

ACO ─ ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA EMPLASA

www.emplasa.sp.gov.br

Tel.: 11 3293 5318

 

17/12/2018 Leia na íntegra esta matéria: (PDUI-RMSP: Concluído!)

Filmoteca da Emplasa supera a marca de um milhão de visualizações no Youtube

A Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano disponibiliza na internet 59 filmes que contam como era a vida na Grande SP a partir da década de 1970

A Filmoteca da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) ultrapassou a marca de um milhão de visualizações em seu canal no Youtube, onde veicula, desde 2011, 59 produções importantes para a história da cidade de São Paulo.

Os filmes estão disponíveis para consulta pública e download no site da Emplasa <http://www.bibliotecavirtual.emplasa.sp.gov.br/Filmoteca.aspx>, chegando a 700 mil views entre 2017 e 2018, com acessos de 19 países.

São documentários, curtas e vídeos assinados por cineastas conhecidos, como Nilce Tranjan, diretora de "Praça da Sé", o mais procurado pelo público, com 512 mil views, além de curtas produzidos pela própria Emplasa. Os mais vistos da produção técnica são: "Geoprocessamento Aplicado ao Planejamento" (1986), "Morar na Cidade"(1987), "Indústrias na Grande São Paulo" (1986), "Plano Metropolitano da Grande São Paulo" (1994) "Mapeia São Paulo" (2014), "Metrópole Conhecer e Agir", entre outros.

"Estas produções são frequentemente solicitados por cineastas, curadores e jornalistas para integrar mostras, outros documentários e reportagens", conta Elsa Machado Maglio, coordenadora da área de Documentação e Informações Técnicas da Emplasa. Em 2016, parte da coletânea ganhou destaque na Mostra de Cinema São Paulo Cidade Aberta, organizada pela Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, alcançando um público de 270 mil pessoas, aproximadamente.

A Emplasa completa 45 anos de existência em 2019 e foi pioneira na digitalização de documentos sobre planejamento metropolitano. A Filmoteca é a "joia da coroa", fruto de um momento em que a empresa promovia criativos diálogos com entidades da sociedade civil, filmava estudos em desenvolvimento e registrava os problemas vivenciados pelos moradores da Grande São Paulo na década de 1970.

Esses registros em vídeo e a divulgação para o grande público despertaram o interesse de cineastas renomados, que enxergaram na filmoteca um canal para seus filmes chegarem aos moradores da periferia. Assim, grandes diretores e produtores passaram a disponibilizar seus trabalhos para compor o acervo da filmoteca.

Até meados dos anos 1990, a parceria com os cineastas foi intensa, construindo o atual acervo cinematográfico, que chegou a contar com produções conjuntas com a TV Cultura. "Com a chegada da internet, a lógica de veiculação da informação se inverteu, de modo que os grandes diretores já não viam a necessidade de divulgar seus filmes por meio da filmoteca, uma vez que a internet democratizou a disseminação em massa dos conteúdos", salienta Elsa Maglio.

Mas a Filmoteca da Emplasa ainda desempenha papel fundamental na relação com produtores cinematográficos, dispondo para consulta todos os arquivos produzidos de 1974 até 2018, à medida que diversas universidades, empresas, urbanistas, cineastas e setores da sociedade civil procuram estes registros em vídeo para criar novas obras.

EM CARTAZ

PRAÇA DA SÉ, da diretora Nilce Tranjan (1974), é um dos fenômenos da Filmoteca da Emplasa, chegando a 512 mil visualizações no Youtube em 03/12 último. Tanta procura se deve ao fato de ser um dos raros registros da praça que é "a cara de São Paulo" 44 anos atrás.O documentário colorido, produzido em 1974 (10 minutos), mostra toda a agitação em torno do Marco Zero da Capital, com seus barulhentos vendedores ambulantes, lojas e a habitual movimentação no Centro Histórico de São Paulo.

O curta ÔNIBUS, dos diretores João Batista de Andrade, Claúdio Cerri e Nilo Mota, produzido pela TV Cultura em 1973, em preto e branco, mostra em oito minutos os problemas de mobilidade enfrentados diariamente pela população de São Paulo desde então.Traz entrevistas com trabalhadores nas filas dos terminais e nos pontos de ônibus, registrando a superlotação dos coletivos que trafegavam em número muito abaixo das necessidades dos usuários.

PAULICÉIA, de 1978, do diretor Flavio Del Carlo, documenta em 11 minutos o desenvolvimento de São Paulo do século XIX até 1970. Por meio de fotos antigas e animações, o filme mostra os eventos característicos de cada época, como a evolução dos meios de comunicação e do transporte, apontando para os problemas que o crescimento acelerado já começava a trazer

Esses e outros filmes estão disponíveis no endereço:

http://www.bibliotecavirtual.emplasa.sp.gov.br

10/12/2018 Leia na íntegra esta matéria: (Filmoteca da Emplasa supera a marca de um milhão de visualizações no Youtube)

Emplasa realiza últimas oficinas técnicas na RM Ribeirão Preto e na Aglomeração Urbana de Franca

A Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) realiza esta semana a rodada final de oficinas técnicas na Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP) e na Aglomeração Urbana de Franca (AUF), com o apoio da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

Nestas quarta e quinta, acontecem oficinas em Patrocínio Paulista (05/12) e São Joaquim da Barra (06/12), na AUF; no dia 07/12, em Batatais, a última da RMRP. Nesses encontros, serão debatidas oportunidades e barreiras ao desenvolvimento das duas regiões, dentro do Projeto Unidades de Informações Territorializadas (UITs).

"As UITs são recortes do território municipal que correspondem a uma unidade de análise para fins de planejamento regional, segundo metodologia desenvolvida pela Emplasa em 2005, o chamado DNA do Território”, explica Luiz José Pedretti, diretor de Planejamento e Novos Negócios da Emplasa, que participou das oficinas realizadas na semana passada em Jaboticabal, Santa Cruz da Esperança e Ribeirão Preto.

Estas Unidades de Informações Territorializadas permitem a leitura dinâmica e detalhada do território, bem mais próxima da realidade do município, porque reconhecem e qualificam suas principais características fisico-territoriais e socioeconômicas, associando padrões de uso e ocupação do solo e dados estatísticos (IBGE, Rais).

Aglomeração Urbana de Franca

Os trabalhos na Aglomeração Urbana de Franca seguem avançados. A equipe de técnicos da FESPSP já realizou a coleta de dados e informações sobre a AUF com as prefeituras de cada um de seus 19 municípios (Planos Diretores, Macrozoneamento, entre outros). Também foi concluído pela Emplasa o estudo do Uso e Ocupação do Solo, complementado pela FESPSP, por meio de visitas técnicas aos municípios, com o apoio de equipes das prefeituras.

A Emplasa delimitou as Unidades de Informações Territorializadas da AUF, validando-as com as secretarias municipais. Além disso, elaborou Relatórios de Caracterização do Uso e Ocupação do Solo e Documentação Fotográfica, segundo as UITs, para cada um dos 19 municípios. Estes relatórios serão disponibilizados no site da Emplasa no próximo ano.

Região Metropolitana de Ribeirão Preto

A FESPSP também já coletou os dados e informações com as prefeituras da RMRP (Planos Diretores, Macrozoneamento, entre outros) e encontra-se em elaboração pela Emplasa o mapeamento do Uso e Ocupação do Solo. Na sequência, serão realizados os mesmos procedimentos ocorridos na AUF. Os trabalhos prosseguem até meados de 2019.

Oficinas AUF

 

05/12/2018, município de Patrocínio Paulista

Grupo 1: Cristais Paulista, Franca, Itirapuã, Jeriquara, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Restinga, Ribeirão Corrente, Rifaina e São José da Bela Vista

Horário: 14h às 18h

Local: Salão Azul, na Rua Tenente Joaquim Cândido, s/n - Centro (próximo à prefeitura)

06/12/2018, município de São Joaquim da Barra

Grupo 2: Aramina, Buritizal, Guaíra, Guará, Igarapava, Ipuã, Ituverava, Miguelópolis e São Joaquim da Barra

Horário: 8h30 às 12h30

Local: FAJOB - Faculdade São Joaquim da Barra, Rua Rio Grande do Norte nº 1.470, Bairro Vila Deienno

 

Oficina RMRP

 

BATATAIS – 07/12/2018 – CAIC Professor Gilberto Dalla Vecchia

Sub-região 4 (Altinópolis, Batatais, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Sales Oliveira e Santo Antônio da Alegria)

Horário: 8h30 às 12h30

Endereço: Rua Coronel Joaquim Marques, 1260, Distrito Industrial

 

COMUNICAÇÃO EMPLASA

Tel.: 11 3293 5318

www.emplasa.sp.gov.br

03/12/2018 Leia na íntegra esta matéria: (Emplasa realiza últimas oficinas técnicas na RM Ribeirão Preto e na Aglomeração Urbana de Franca)

Emplasa realiza duas oficinas técnicas na Aglomeração Urbana de Franca

A Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) realiza nos dias 5 e 6 de dezembro, em parceria com a Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP), oficinas técnicas em Patrocínio Paulista (05/12) e São Joaquim da Barra (06/12) para debater sobre oportunidades e barreiras ao desenvolvimento da Aglomeração Urbana de Franca (AUF).

Os eventos fazem parte do Projeto Unidades de Informações Territorializadas (UITs), que a Emplasa e a FESPSP estão desenvolvendo na Aglomeração Urbana de Franca, e deverá resultar na edição de um atlas digital. As atividades são dirigidas a gestores públicos e privados, técnicos que atuam nas áreas de planejamento e gestão urbana, pesquisadores, acadêmicos e entidades representativas da sociedade civil.

Programação

1ª Oficina: 05/12/2018, município de Patrocínio Paulista

Grupo 1: Cristais Paulista, Franca, Itirapuã, Jeriquara, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Restinga, Ribeirão Corrente, Rifaina e São José da Bela Vista

Horário: 14h às 18h

Local: Salão Azul, na Rua Tenente Joaquim Cândido, s/n - Centro (próximo à prefeitura)

2ª Oficina: 06/12/2018, município de São Joaquim da Barra

Grupo 2: Aramina, Buritizal, Guaíra, Guará, Igarapava, Ipuã, Ituverava, Miguelópolis e São Joaquim da Barra

Horário: 8h30 às 12h30

Local: FAJOB - Faculdade São Joaquim da Barra, Rua Rio Grande do Norte nº 1.470, Bairro Vila Deienno

23/11/2018 Leia na íntegra esta matéria: (Emplasa realiza duas oficinas técnicas na Aglomeração Urbana de Franca)

26-30 of 555<  1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  ...  >